Tá No Mapa vai tirar favelas da Zona Olímpica da invisibilidade digital

  • Rafael Ruas
  • 9 de fevereiro, 2016
CompartilharTweet about this on TwitterShare on Google+Share on Facebook

Dando prosseguimento ao projeto que visa tirar as favelas do Rio da invisibilidade digital, o “Tá No Mapa”, uma parceria entre o AfroReggae, Google e J. Walter Thompson iniciará, logo após o carnaval, sua 5ª etapa, desta vez nos morros do São Carlos, Mineira e Coroa, localizados no Centro da cidade.

fd

A previsão é de que em dois meses, todo mapeamento de pontos de interesse (comércio, equipamentos públicos, praças, igrejas, entre outros), esteja pronto e repassado ao Google para validação. Até o final de abril o levantamento já deve estar disponível no Google Maps.

df

Todo trabalho será realizado por agentes escolhidos pelo AfroReggae, com uma única exigência: que sejam moradores da região.Eles receberão um treinamento, antes de sairem a campo, além do kit de trabalho incluindo uniforme, crachá de identificação e um smartphone.

df

De acordo com o coordenador do AfroReggae no projeto, Ronan Ramos Jr., as três favelas do Centro do Rio foram escolhidas estrategicamente:

– Todas as favelas ficam no entorno da Marquês de Sapucaí. Como estamos em ano olímpico, a ideia é mapearmos o máximo possível de favelas próximas aos equipamentos esportivos, o que chamamos de Zona Olímpica. As competições de tiro com arco e maratona serão realizadas no sambódromo. – ressalta Ronan.

df

O Tá No Mapa, que atua desde 2013, já identificou e incluiu no Google Maps, as favelas de Parada de Lucas, Vigário Geral, Rocinha, Caju, Vidigal, Cantagalo, Babilônia, Chapéu Mangueira, Pavão-Pavãozinho, Tabajara/Cabritos e Santa Marta.

gf

Comentar