Nossa História

CompartilharTweet about this on TwitterShare on Google+Share on Facebook

 

1992

  • A “1ª Rasta Reggae Dancing” foi realizada no Colégio Estadual Souza Aguiar, no dia 17 de outubro, a festa foi a semente que mais tarde daria origem ao Grupo Cultural.

1993

  • Festa de lançamento do “Jornal AfroReggae Notícias” n° 0, no dia 21 de janeiro. O jornal foi o marco oficial de fundação do Grupo Cultural AfroReggae (GCAR).
  • No dia 20 de julho, o Grupo Cultural AfroReggae foi legalizado.
  • O AfroReggae e o Mocovige (Movimento Comunitário de Vigário Geral) promovem o Vigário in Concert Geral no dia 30 de outubro. Esta foi a primeira vez que o jornalista Zuenir Ventura foi à favela. Em seguida, ele escreveu o livro ‘Cidade Partida’.

 1994

  • Vigário Geral recebe as primeiras oficinas de percussão, dança afro e reciclagem de lixo, na Quadra Nahildo Ferreira. Ali foram dados os primeiros para a criação do primeiro Núcleo de Cultura.
  • O poeta Waly Salomão e ex-padre e educador Lorenzo Zanetti viram gurus do AfroReggae.

1995

  • Batizado da “Banda AfroReggae”, no dia 9 de junho, em Vigário Geral, com Caetano Veloso e Regina Casé como padrinhos.
  • A “Barraca da Saúde”, que informava sobre DSTs e distribuía preservativos, foi batizada em frente à Febarj. Os padrinhos foram Waly Salomão, Dona Zica, Mãe Beata de Yemanjá e Tia Cotinha.

1996

  • No ‘Seminário sobre Movimento Popular’, acontecido no Canadá, Luiz Inácio Lula da Silva sugere a José Junior a criação da “Campanha do Metro” para ajudar a quitar a dívida adquirida ao comprar a sede, que viraria o Núcleo de Vigário Geral.
  • O Grupo Cultural AfroReggae integra o primeiro grupo de trabalho do Ministério da Saúde para formular a Política Nacional de Prevenção Popular das DSTs e Aids no Brasil.
  • O AfroReggae entra com a arte circense nas comunidades do Cantagalo e Pavão-Pavãozinho, em parceria com a Fase, o Jeneusse du Monde e o Cirque du Soleil.

1997

  • A Banda AfroReggae, atual AR21,  é convidada para realizar uma turnê na Europa.

1998

  • A Banda AfroReggae faz sua primeira turnê internacional  durante a Copa do Mundo da França, passando pelo país sede, pela Alemanha, Inglaterra e Holanda.

1999

  • Em Manoppello, região de Abruzzo, na Itália, durante a segunda turnê europeia da Banda AfroReggae, José Junior começa a escrever Da Favela para o Mundo.
  • Criação da “AfroReggae Produções Artísticas Ltda – ARPA”.
  • No dia 9 de maio, o filme ‘Orfeu’ é exibido no Ciep Mestre Cartola, na divisa entre Vigário Geral e Parada de Lucas, que viviam sob o jugo da guerra de facções do tráfico.

2000

  • Lançamento do “Prêmio Orixalé”, no evento de comemoração dos 7 anos do AfroReggae, no Teatro Carlos Gomes. O evento foi marcado por apresentações artísticas.
  • Criação do “Criança Legal”, projeto que visava à iniciação pedagógica e cultural de crianças entre 5 e 7 anos com escrita e leitura, aulas de dança, capoeira e percussão.
  • O AfroReggae rompe a fronteira da guerra do tráfico entre Vigário Geral e Parada de Lucas e inicia oficinas de informática na Associação de Moradores de Lucas, com o apoio do Comitê de Democratização da Informática (CDI). Estava lançada a semente para a criação de mais um núcleo.

2001

  • A Banda AfroReggae abre a terceira edição do ‘Rock In Rio’, no dia 14 de janeiro, ao lado da Orquestra Sinfônica Brasileira, no palco principal.
  • O circuito de shows gratuitos “Conexões Urbanas” estreia no Morro da Formiga com apresentações de Fernanda Abreu, MV Bill e a Banda AfroReggae,
  • Lançamento do projeto “Rompendo Fronteiras” em Parada de Lucas. A iniciativa é fruto de uma parceria com Comitê de Democratização da Informática e a Associação de Moradores local.

2002

  • A Banda AfroReggae lança o CD “Nova Cara”, na sede da gravadora Universal.
  • David Byrne, líder da banda britânica Talking Heads, visita o Centro Cultural Vigário Legal.

2003

  • Comemoração dos 10 anos do AfroReggae no Teatro João Caetano, nos Arcos da Lapa e no Sesc Tijuca. Os eventos reuniram debates, o Prêmio Orilaxé e o lançamento do livro “Da Favela para o Mundo”, de José Junior.
  • O AfroReggae perde o mestre Waly Salomão.
  • No dia 4 de agosto tem início o projeto “Rompendo Fronteiras”, em Parada de Lucas.
  • O AfroReggae recebeu do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do Ministro da Cultura, Gilberto Gil, a ‘Ordem do Mérito Cultural’.

2004

  • Lançamento do “Juventude e Polícia”, o projeto possibilitou o diálogo entre jovens em casa de recuperação e agentes da lei através de palestras e oficinas artísticas. O projeto foi coordenado pelo AfroReggae e pelo CESC em parceria com a Polícia Militar e o Governo de Minas Gerais.
  • O AfroReggae perde Lorenzo Zanetti.

2005

  • Comemoração dos 12 anos do Grupo com shows de Gilberto Gil e da Banda AfroReggae no Canecão.
  • Lançamento do filme “Favela Rising”, dirigido por Jeff Zimbalist e Matt Mochary. O longa recebeu  mais de 30 prêmios internacionais.
  • A Banda AfroReggae lança o álbum “Nenhum Motivo Explica A Guerra”, pela Warner Music Brasil.

2006

  • “Favela Rising” é indicado ao Oscar de Melhor Documentário. O longa ganhou mais de 30 prêmios internacionais.
  • A Banda AfroReggae abre o show dos Rolling Stones, em Copabacana. Meses depois, lança o DVD Nenhum Motivo Explica A Guerra”, no Circo Voador. Na ocasião é exibido documentário dirigido por Cacá Diegues e Rafael Dragaud que traz depoimentos sobre a história do AfroReggae.
  • Criação do projeto “Acorda Lucas”,  que deu origem à “Orquestra AfroReggae”.
  • O Centro de Inteligência Coletiva Lorenzo Zanetti é inaugurado em Parada de Lucas no dia 26 de novembro.

2007

  • O AfroReggae consolida o intercâmbio com parceiros fora do país: na Índia, o grupo promoveu oficinas de capoeira, dança afro, grafite e percussão e conheceu Nizamunddin, a favela mais antiga do mundo; na Inglaterra, assinou convênio com as instituições inglesas Barbican Centre e o People’s Palace Projects, criando o “Favela to the World” e em viagem à Colômbia realiza a filmagem do documentário “O Veneno e o Antídoto”.
  • Lançamento da revista “Conexões Urbanas”.
  • Inauguração do Núcleo do Complexo do Alemão no dia 3 de agosto.
  • 2008
  • Lançamento do projeto “Empregabilidade”, que atua para a ressocialização de egressos do sistema prisional.
  • O programa “Conexões Urbanas” chega nas rádios Roquette Pinto e Furacão 2000 e estreia na TV no canal Multishow.
  • Lançamento do livro “Cultura é a nossa arma – AfroReggae nas favelas do Rio” dos escritores Damian Platt e Patrick Neate; e do documentário “O Veneno E O Antídoto: Uma Visão Da Violência Na Colômbia”.
  • O Núcleo de Nova Era ganha uma sede própria em 1 de novembro.

2009

  • Início do projeto “Rebelião Cultural”, no presídio Talavera Bruce. Em parceria com a Cufa, Nós Do Morro e Observatório de Favelas, o AfroReggae ofereceu oficinas de qualificação profissional.
  • Batismo da Orquestra de Cordas AfroReggae no Palácio Guanabara pelo governador do estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e a então secretária estadual de Educação, Tereza Porto.
  • O AfroReggae perde Evandro João Da Silva no dia 18 de outubro.
  • Lançamento do “Unindo Forças”, em parceria com a Secretaria de Educação.

2010

  • Inauguração do Centro Cultural Waly Salomão, núcleo do AfroReggae em Vigário Geral
  • Inauguração da agência bancária do Banco Santander no Complexo do Alemão no dia 28 de maio. Esta foi a primeira vez no mundo que um banco abriu uma agência em uma favela.
  • Estreia profissional da “Trupe de Teatro AfroReggae” com o espetáculo “Urubaca”.

2011

  • Último show da “AR21” como Banda AfroReggae no Theatro Municipal do Rio, após o discurso de Barack Obama, presidente dos EUA.
  • Lançamento do reality show “Papo de Polícia” no Multishow, em março.
  • O AfroReggae assina convênio com o Santander Universidades.
  • Acontece a primeira edição da corrida “Desafio da Paz”, no Complexo do Alemão.
  • Inauguração do núcleo da Vila Cruzeiro, no dia 19 de dezembro.

2012

  • Criação do ciclo de debates “Comandos”.
  • Lançamento do “Selo AR” na 34ª edição da São Paulo Fashion Week.
  • Madonna conhece o Centro Cultural Waly Salomão na tarde do dia 7 de dezembro.
  • Inauguração da árvore de Natal do Complexo do Alemão com um concerto da Orquestra Sinfônica Brasileira, regida pelo maestro Roberto Minczuk.

2013

  • Nos 20 anos do grupo, o AfroReggae abre as portas de seu escritório de representação em São Paulo.
  • Criação do movimento “Deixem o Rio em Paz”, em apoio a capital carioca e ao AfroReggae.
  • Lançamento do projeto “África”, que desenvolve iniciativas de apoio à gestão social de Cabo Verde e dissemina expressões culturais como circo, música, percussão, teatro e grafite. Neste mesmo ano, o projeto é premiado pela ONU.

2014

  • AfroReggae completa 21 anos.
  • AfroReggae transforma o projeto empregabilidade na Agência de Empregos “Segunda Chance”, a primeira de ex-presidiários para ex-presidiários.

2015

  • O AfroReggae é escolhido pela ONU para representar a luta contra a redução das desigualdades, um dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, que deverão ser adotados por mais de 150 países para combater a pobreza extrema, as desigualdades e as mudanças climáticas até 2030.
  • O jornalista Luis Erlanger lança “José Junior: No Fio da Navalha”, a biografia do fundador e coordenador executivo do AfroReggae.

2016

  • A AfroReggae Audiovisual é lançada. Depois de produzir sete temporadas do Conexões Urbanas e cinco do Papo Polícia, produtora recebe aporte de investidores para ampliar sua atuação.
  •  Nossos grupos artísticos movimentam a cena cultural da cidade. O Afro Circo e o Makala se apresentaram no Teatro Municipal Carlos Gomes. Enquanto a Trupe de Teatro AfroReggae realizou uma turnê por lonas e arenas culturais cariocas, além de ficar em cartaz na Sala Municipal Baden Powell.