Tá no Mapa, tá em Vigário

  • Eduardo Borzino
  • 27 de novembro, 2014
CompartilharTweet about this on TwitterShare on Google+Share on Facebook

Depois do Complexo do Caju, Rocinha, Vidigal e Parada de Lucas, chegou a vez de Vigário Geral sair da invisibilidade digital e ocupar os mapas da internet. O primeiro treinamento com os agentes do projeto foi no dia 19 deste mês e, dia 24, eles já estavam nas ruas fazendo o mapeamento.

O AfroReggae, em cada nova ação do Tá no Mapa!, recruta moradores da própria comunidade para serem agentes. Depois de receberem o treinamento com profissionais da Google, os jovens percorrem cada rua, viela e pontos comerciais da favela, inserindo-as no Google Maps, a maior plataforma de mapas, do mundo.

A ação do Tá no Mapa! em Vigário Geral vai até o dia 19/12.

 

IMG_3823 copy

 

Quebrando o muro entre a favela e a cidade

Um mapa aponta caminhos. Através dele você sabe que algo existe. Ser representado significa pertencer, fazer parte de algo e ser visto como parte de algo. Uma representação tem o poder de unir pessoas. Um mapa não é um caminho, ele é o caminho.

Por isso, criamos o Tá no Mapa e fizemos o que ninguém conseguiu até agora: mapear as favelas do Rio de Janeiro. Em 2013, demos o primeiro passo, depois do piloto em Parada de Lucas, levamos, em junho deste ano, o projeto para a Rocinha, Vidigal e Complexo do Caju. E agora, estamos no processo de mapear a Vigário Geral. O Google e a JWT são nossos parceiros e juntos estamos utilizando tecnologia para aproximar pessoas. E esse é só o começo.

Comentar